sexta-feira, julho 21, 2006

CONFESSO

quero-te minha.

numa retenção de portas aladas.
para sempre teu
solto das grilhetas de prisioneiro.

já estou a caminho,amor.

num trilho que respeita
toda a seda erguida nas palavras
que contam a saga dos teus contornos.

ouves os meus passos?

são música tua.
como tú
não deste mundo.

64 Comments:

Blogger Claudia Perotti said...

Amei o texto e deixei-te um pequeno mimo:

Ao longe
Ouço teus passos
Direcionados
Secretos

Chegam-me
Pouco a pouco...

Com eles,
Primeiro o teu perfume
Depois as estrelas
Que teu olhar
Guarda
Só para mim

Bom final de semana, querido!

1:35 da tarde  
Blogger Dalila said...

o amor é uma prisão.

amo a liberdade.

não quero ser infeliz.

:(

2:23 da tarde  
Anonymous alves.mze said...

Está lindíssimo, mais uma vez surpreendes-me, adorei... Bjkas

4:46 da tarde  
Blogger Sea said...

hum... não sei porquê, mas vi morte em algum lugar...

4:50 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

... daqui do nerd aqui vai:
gostei grande chefe, sente-se a musica da coisa... e como tu sabes sem musica, este nerd,nao funciona...
Rui Pintado

4:50 da tarde  
Blogger dreams said...

"livre não sou
que nem a própria vida
mo consente...
mas a minha aguerrida
teimosia
é quebrar dia a dia...
um grilhão da corrente..."
m. torga

adorei a tua confissão...

um beijo doce *
“·.¸Dreams¸.·”

4:57 da tarde  
Blogger Aran said...

Para quê esconder!?!? Lindo!!!! É assim mesmo!!! E agora não te esqueces de a "namorar" eternamente... ;) Beijinhos e inté

11:15 da tarde  
Blogger RRH 1008 said...

El amor es como un río que va a dar a la mar que lo hace eterno
Un abrazo te mando querido amigo Joaquim

12:14 da manhã  
Blogger Velutha said...

o teu blog é maravilhos. nele pulsa o amor como no meu.
beijos e bom fim de semana

8:28 da manhã  
Blogger RPM said...

Aleluia.....um POEMA!!!!

parabéns, amigo!

também me diz alguma coisa....

9:54 da manhã  
Blogger RPM said...

Aleluia.....um POEMA!!!!

parabéns, amigo!

também me diz alguma coisa....

RPM

9:54 da manhã  
Blogger Aurelio said...

Admirável o poema. Escreves com tanta delicadeza que até se torna fácil confessar. Tão fácil quanto fazer um carinho. Quando na verdade, o mais fácil é a voz trancar na garganta.

Abraços de além mar.

4:19 da tarde  
Blogger Moni said...

Mais um poema lindo...

Bjocas

8:00 da tarde  
Blogger Maresi@ said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

8:24 da tarde  
Blogger Maresi@ said...

:))) Adorei seu poema Amândio....sentimentos sentidos, palavras profundas...
beijo Maresi@

8:24 da tarde  
Blogger RPM said...

Amigo!

feliz sejam estes dias estivais pelos teus lados, terras do Ave?

um abraço até agosto

RPM

10:41 da tarde  
Blogger miosotis said...

Poema simples e de gd afecividade!
As palavras mais puras são as q transmitem melhor o amor, porque ñ dão origem a várias interpretações q podem gerar dúvidas ou até mal-entendidos!

Ñ encontrei teu livro de poemas... escreves com este nome? Qual a editora?

Deixei uma palavra de afecto no meu espaço para tds os q me têm dedicado ternura!

bjs e bom f-s

3:04 da manhã  
Blogger Rosalina said...

"num trilho que respeita / toda a seda erguida nas palavras / que contam a saga dos teus contornos."

trilho...

palavras.

saga...

contornos.

uma imagem tão forte, quanto frágil.

12:33 da tarde  
Blogger alejandrapiam said...

hoy pasé por aquí, te dejo un saludo invernal,
para refrescarte...

10:22 da tarde  
Blogger ≈♥ Nadir ♥≈ said...

Ouves a minha música?
No silêncio das Palavras???
ouves os acordes mudos da minha voz?
Hoje... confesso... sou tua...

Beijos e boa semana

11:05 da tarde  
Blogger Adryka said...

Olá amigo, pois que ela tenho escutado os teus passos e que tenhas tido um fim de semana de sonho. Beijos

8:23 da manhã  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Meu querido Amândio
estou com uma obra de arte em minhas mãos, real, palpável, linda obra escrita por você.
Amei e me sinto orgulhosa em ter tido o privilégio de receber além mar um pedacinho do amigo querido em forma de livro recheado de poesia.
Obrigada meu querido, por ter escrito tão fantásticas palavras e por me ter dado a honra do presente.
Já o li e reli e li e reli e ainda farei tantas vezes meu coração necessitar de alento.
Meu carinho pra você.
Lindos dias,
beijosssssssssssss

10:17 da tarde  
Blogger Marco Magalhães said...

Caro amigo,
Mais um belíssimo poema que escreves.

1:00 da manhã  
Blogger Velutha said...

passei para reler e ainda gostei mais.aqui há uma atmosfera de amor.
jinhos

8:29 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

passei so para ler mas nao consegui deixar de escrever uma coisita...
Este poema além de fantástico, tb tem um pouco haver cmg...
O AMOR é lindo, grande abraço AMIGO.
Candido Silva

1:58 da tarde  
Blogger A.J.Faria said...

Olá, Joaquim!
A música do amor é sempre um exteriorizar do melhor que temos!
Bonito poema!
Um grande abraço!

10:16 da tarde  
Blogger mixtu said...

ouve os teus passos...

obrigado pelo convite...

abrazos

10:39 da tarde  
Blogger Cris said...

E não é que anda tudo apaixonado? :)
Bela declaração, gostei.
Um beijo

9:43 da manhã  
Anonymous pequenita (quando o teu corpo e o meu) said...

Dá-me a tua mão: vou agora te contar
como entrei no inexpressivo
que sempre foi a minha busca cega e secreta.
De como entrei naquilo que existe
entre o número um e o número dois,
de como vi a linha de mistério e fogo
e que é a linha sub-reptícia.

Entre duas notas de música existe uma nota,
entre dois fatos existe um fato,
entre dois grãos de areia
por mais juntos que estejam
existe um intervalo de espaço,
existe um sentir que é entre o sentir
- nos interstícios da matéria primordial
está a linha de mistério e fogo,
que é a respiração do mundo,
e a respiração contínua do mundo
é aquilo que ouvimos
e chamamos de silêncio.

2:11 da tarde  
Blogger Su@vissima said...

Depois de ler alguns dos teus poemas...és uma "sinfonia", bem deste Mundo!!

Lindos...obrigada pela dádiva:)

Um beijo daqui...

3:58 da tarde  
Blogger Luna said...

As grilhetas acorrentam-nos tapam-nos a visão, ficamos cegos para a realidade, e passamos por ele sem a entender-mos
beijos

4:57 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

as suas palavras movem-nos para lá do real e fazem-nos sentir que a vida não é sobreviver.
Apertam o coração pela dor, veracidade e duplo sentido que a mesma palavra pode ter.

Tenho comigo o seu livro e não me canso de o reler.
Parabéns!

SAL

1:09 da tarde  
Blogger Mia said...

as tuas palavras sao música, sao melodias, sao acordes que nos embalam o sonho, a vida...
tal como a tua voz me embalou no passado...

beijo terno

1:30 da tarde  
Blogger Spiritman aka Bacardiman said...

Bonito e sentido sim!!!

Cumprimentos mixed by Jameson 12 anos!!!!

3:51 da tarde  
Blogger Miguel said...

Hola Portuga. Soy de Argentina. Estuve leyendo tus poemas, están muy buenos, realmente. tengo un amiga en el trabajo que es profesora de portugués y me los traduce. Te felicito. Saludos.

3:57 da tarde  
Blogger MySelf said...

eu ia escrever qq coisa que depois de ler estes comentários todos, já ia ser repetitiva...De qualquer forma, gosto muito das tuas 'confissões'!

5:34 da tarde  
Blogger ~*Vica*~ said...

Lindíssimo o poema, o que eu mais gostei dos mais recentes. Beijos.

3:55 da manhã  
Blogger bomba said...

Idealização, talvez?? neurótico de certeza!!

5:43 da manhã  
Anonymous Jofre Alves said...

Blogue duma estética irrepreensível, comprometido com a beleza da vida, a merecer mais e constantes visitas no futuro.

2:53 da tarde  
Blogger bomba said...

"
de são
e
de louco,
todos
temos um pouco!
"
Mas uns mais sãos e outros mais loucos...

E pior do que os sãos e os loucos: os Neuróticos!

4:41 da tarde  
Blogger Artur Moura Queirós said...

Para quem tinha dúvidas, fica provado que é com seda, que se quebram as barreiras e grades que escondem, repetidamente, a arte de tornar o palpitar de um coração, no ritmo dos passos de quem nos encontra...:)

5:45 da tarde  
Blogger o fogo que a fraga ferra said...

um amor sem regresso? então para quê os tacões esganiçados? cuidas que vais dançar sapateado? por que não avanças de pantufas? ou descalço? sim. descalço! não receias que as dobradiças enferrujadas denunciem as portas aladas? ou será que não olharás para trás. para a fotografia solitária? talvez recues ainda. hum? quem sabe com os joelhos em fogo, as mãos em chama e o coração rasgado? talvez dele se solte tão só "a seda erguida nas palavras". a rosa púrpura agrilhoada. ou talvez o pano não caia e o amor não liberte.

contudo, não obstante,

é tão belo dares-te assim todo trilho. vereda. caminho. todo música. ave. FIM.

12:49 da manhã  
Blogger miosotis said...

Tão suave e afectuoso teu poema poisado em meu 'aniversário'!!
Nem sei como agradecer...

1:51 da manhã  
Blogger Freyja said...

¿Usted oye mis ritmos?

son su música. Cuando tú no de este mundo.

hermoso, escribes versos muy hermosos
buen fin de semana y gracias por tus saludos en Sucesos
un abrazo


besos y sueños

5:50 da manhã  
Blogger RPM said...

Amigo Joaquim.....

Por estas terras latinas e romanas a vida é bela...com calor, mas com a beleza de tudo...as pessoas, a cidade, as fontes, as praças, a elegancia, o estilo....

Roma ou amoR.....

Um abraço de amizade e felizes sejam os teus dias...

RPM

9:41 da manhã  
Blogger blugaridades said...

este poema é lindo.bjs

9:57 da manhã  
Blogger alfazema said...

Gosto muito do teu poema e do ser humano que o elaborou. Que sesibilidade! Lindo!

5:34 da tarde  
Blogger RRH 1008 said...

Graças por teu poema,graças por tua amizade, um abraço para ti .PD. Ter se em agosto posso ir a Penafiel e saudar-te,

7:25 da tarde  
Blogger Silêncios said...

A beleza de sempre...

9:48 da tarde  
Blogger Alexandra said...

Depois de tantos comentários nada mais posso dizer a não ser Parabéns pelo Dom que tem e pela sensibilidade sempre demonstrada!!

Até mais.

Alexandra

2:49 da tarde  
Blogger Musician said...

Adorei esta tua confissão! :)
Beijinho*

12:39 da manhã  
Blogger lonely star said...

"já estou a caminho"?
ai, me lembrou um olhar perfeito que eu ganhei esses dias...

3:26 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Simplesmente apaixonante...gostei muito

um Beso para ti:)

12:38 da tarde  
Blogger Ana P. said...

Já comentei este teu poema num outro teu cantinho, mas não deixo de dizer que só escreve assim quem realmente ama...

12:50 da tarde  
Blogger Paulo Osrevni said...

Lindíssimo poema, de delicadeza e sensibilidade ímpares.

8:28 da tarde  
Blogger RPM said...

olá Joaquim.....

um poema depois de um período de descanso...

um abraço de amizade

RPM

10:07 da tarde  
Blogger RPM said...

olá Joaquim.....

um poema depois de um período de descanso...

um abraço de amizade

RPM

10:08 da tarde  
Blogger rouxinol de Bernardim said...

Muito bonito e sensual...

8:17 da manhã  
Blogger falcão e cunha said...

Nada podes querer porque tudo é impermanente. O tudo é um só e o nada é tudo.

3:04 da tarde  
Anonymous collybry said...

Mundo outro que,
vem sem se aniciar,
quando coraçao que ama presente
os leves passos...
Meu rasto...esvoaçando no espaço...
Cõllybry

8:09 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Isso é amor...n lhe parece? um exaltação ao Amor...

Gostei muito

um Beijo para si

2:36 da tarde  
Blogger sereia said...

Lindo!!!
Assim mereces os profiteroles!..com chocolate preto!

4:08 da tarde  
Blogger Miguel Peixoto said...

Sempre ufana a eterna dança entre a mão, a pena e a negra tinta.
Grande abraço.

3:42 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

sometimes we feel so empty, in this world full of everything...
sometimes i feel so empty... however by reading these poems of yours in one of those moments where nothing seems to exist, the transformation suddenly happens...
shapes, colours, smells, love, hate, fear...
i feel inspiration swimming through your veins...

Sol

11:37 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home