segunda-feira, fevereiro 06, 2006

vassalo

grito desesperado
por longe me quedar da lua
choro uma tépida sorte
que me penetra crua.

sonho-te. perfeição que me possua.
olho-te tão distante. bela.
herdeira da minha pura consciência.
tão nua.

não te aceito ruína!
não cantarei baladas perto do fim
e recuso mergulhar minhas pálpebras
nos favores do choro.

por estes lados
não cumpro velórios regrados
pela fragrância do jasmim

não me quedo inerte
não ajoelho vassalo
do reino da desistência!

21 Comments:

Blogger Dalila said...

Muito bom!

12:23 da tarde  
Blogger Artur Moura Queirós said...

Aceito a imperfeição como o caminho, para a utópica perfeição.
Todas as quedas são pequenos arranhões, que escrevem a sina de quem sabe que o deleite está na luta e não no alcance...

12:24 da tarde  
Anonymous Diana said...

Bom dia.....

Cair...pode até ser...continuar caído..desistir de levantar....jamais....
Bjs....

2:07 da tarde  
Blogger .: jigoku :. said...

don't we all?

tb não me quedo inerte,
mas por vezes desconsolado.
oh, well...

3:58 da tarde  
Blogger Corvo said...

Raros são os que assim se elevam.. em espirito, em arte, gritando alem morte, além sorte, reclamando renascimento... exigindo tudo o que é seu. Dando na suave, mas pungente, força da voz mais do que possa imaginar ou ter... contagiando, em força duplicada, com a esperança que pelos mortos de espirito é renegada.

5:31 da tarde  
Blogger Jôka P. said...

Amândio,
quero lhe agradecer a sua visita à Copacabana assim como as suas palavras inteligentes e amáveis !
Muito obrigado
e volte sempre,
será muito bem-vindo !
Abç,
JÔKA P.

6:29 da tarde  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Palavras de quem não desiste nunca..belas!
linda semana meu querido,
beijosssssssssss

6:50 da tarde  
Anonymous Marcia said...

Olá! maravilhoso estar aqui...parabéns! bjs

6:53 da tarde  
Anonymous Ordisi Raluz said...

Perfeição. No contexto, quase um nome de mulher...

8:41 da tarde  
Blogger ~*Vica*~ said...

Li todos os poemas, são mesmo lindíssimos.

9:42 da tarde  
Blogger ¤(`×[¤ Juzinhah ¤]×´)¤ said...

oi! vim retribuir o comentário, vc me animou muito!!! vlw!!! adorei seu blog, vc esvreve muito bem! bjs e continue assim!

12:06 da manhã  
Blogger sonia r. said...

Muito bonito!!
Bom dia Amândio.
Bjo.

9:48 da manhã  
Anonymous teresa cam said...

Neste pequeno espaço, presto a minha vassalagem a tão sábias palavras.

Que a verdade nunca te tolde a alma de poeta para continuares a escrever tão formosas coisas, que enchem a minha triste alma de alento.

Beijocas
Teresa

11:00 da manhã  
Anonymous pequenita said...

lindo poema...mto bem conseguido....parabens....kisssssssssssssssssssssssssssssssssss

2:25 da tarde  
Blogger Natalie Afonseca said...

Olá!!
POema bonito!!!
Que vassalo :)
Bjs

3:33 da tarde  
Blogger Mendes Ferreira said...

muito muito muito bom.


beijo.

6:19 da tarde  
Blogger Su said...

gostei muitoooo
jocas maradas de sonhos

7:47 da tarde  
Blogger antimater said...

Em retribuida curiosidade encontrei imagens belas em catadupa e uma profunda arte de pensar...
.o)

10:56 da tarde  
Blogger Betty Branco Martins said...

Olá Amândio

Obrigada pela visita - e palavras... Agora espero que voltes sempre :)

Lindo o teu poema... [in]quietude do desejo...

Vou conhecer um poco do teu "espaço"

Com toda a certeza que voltarei:)

Beijinhos

2:13 da manhã  
Anonymous Neith said...

Palavras que burilas com extrema mestria...o efeito só pode ser este mesmo...soberbo! Um beijo enorme

2:57 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

No seguimento de "Vigilia" e em contraposição: não devemos desistir!
Beijinhos, Alexandra

4:56 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home