sexta-feira, outubro 17, 2008

QUASE

photo by DEEE




bordejei por momentos a fronteira da perfeição em forma de palavra.

nasceria o poema

mas quedo-me em silêncio.




(… rogo-vos que enlutem, enquanto me ergo!)







5 Comments:

Blogger Artur Moura Queirós said...

Não custa enlutar, quando o vento anuncia a ressurreição...:)

6:23 da tarde  
Blogger Olhos de mel said...

Oie lindinho! A vida nos mostra essa face triste também. Não há quem não tenha sofrido, pelo menos, uma pequena morte emocional, ao longo da existencia. Mas precisamos aprender a renascer a cada uma delas. Lutar e acreditar é preciso! Perder uma batalha é normal, mas precisamos ter como meta, vencer a guerra. Eu também passo por momentos desses e muitos, viu? Mas quando caio vou até o fundo do poço e arranco forças do fundo da alma pra não ficar lá. Quando volto me sinto forte. Espero que consiga meu amigo! Se precisar de uma mão pra segurar as suas, conte comigo. Amigos são aqueles que contamos para sorrir, mas para chorar também.
Fique com Deus! Eu torço e acredito em você! Beijos

9:26 da tarde  
Blogger MySelf said...

É sempre um prazer passar por aqui e ler as tuas palavras. Numa palavra: perfeito!

4:59 da tarde  
Blogger Claudia Perotti said...

Sempre divino!
Beijinhosssssssss

11:59 da tarde  
Blogger Olhos de mel said...

Oie lindinho! Espero que esteja bem e que muito breve, possamos contar com seus belos escritos entre nós. Boa semana! Beijos

1:33 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home