sexta-feira, janeiro 04, 2008

ONDULAÇÃO



quando o mar irrompe no arrogo farto que comanda as suas ondas deleitadas num furtivo afago do teu corpo, arranco célere seixos da areia e atiro-os sem hesitar.
mergulho nele a minha raiva musculada, e reclamo minhas todas as conchas suas.
e só então me deito a teu lado, numa praia nascida para ninho de encontro entre minha mão e a tua.

assim nasce o nosso namoro
carregado de conchas para nos sossegar!



©2007 joaquim amândio santos e editorial negratinta

PHOTO created by
HELIZ

31 Comments:

Blogger Pedro Monserrate Lopes said...

este foi daqueles que tocou lá bem no fundo.

obrigado amigo! :)

1:51 da manhã  
Blogger mariazinha said...

belas as praias que construimos...

:)

beijo*

12:09 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

hola, te escribo para agradecerte tu visita a mi blog, yo estaré checando desde ahora el tuyo, fue un placer...

Desde la tierra del son, de las guapas mujeres y de la marimba...

me despido temporalmente

Ventana Urbana

1:09 da tarde  
Blogger Artur Moura Queirós said...

Num gesto de magia o mar percebe que é refém do ninho criado em terra, que as suas conchas são divisas esmagadas pela sedução e que a mãe delas é a mão daquele que acolhe a mão da sua musa...:)

2:57 da tarde  
Anonymous livejey said...

das profundezas do pensamento e sentimento deve ter saio este poema.
este solta o grito da paixao, que tudo combate, belas e profundas palavras, alias como sempre.

3:31 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

SEUS OLHOS


Eles são gotas de cristal cheias de mistério
duas estrelas ocultas na madeira nobre
trazem um infinito em seu brilho sério
e uma luz que sua escuridão encobre

Eles envolvem sua existência no mundo
duas lagoas que em suas obscuras águas
escondem o amor em seu bem calmo fundo
e esquecem de tantas mal curadas mágoas

Eles também agem como chamas acesas
duas labaredas queimando eternamente
mantêm em sua íris os meus como presas
para serem assados em uma brasa ardente

E perdido, totalmente a eles me entregarei
procurando me perder em sua infinidade
e sem me queimar neles eu me aquecerei
e então mergulharei em sua eternidade

E se durante a noite me fitam no escuro
me contando coisas pra me enlouquecer
eterno enfeitiçado, me ajoelho e juro
não os esquecer, em todo meu viver

E na madrugada em que ficam cerrados
a velar seus sonhos após cansado dia
beijo esses olhos que são meus amados
para os proteger da madrugada fria

Quando se abrem despertos a degustar a luz
em um novo dia vindo para nos deliciar
envoltos de um mistério que a mim seduz
me mantêm na cama em tênue sonhar

E para um longo dia em que longe dos meus
sofrerão com duros olhos que hão de encará-los
levarei meus olhos pro fundo dos seus
como se meu amor pudesse confortá-los

E no findar da tarde, vendo o sol caindo
na cortina do horizonte em rubro clarão,
eu abraço seus olhos como que pedindo
que aos meus respondam se os amarão

E seus olhos brilham quando em noite revolta
trocamos mil segredos entre nossos lábios
vejo em seus olhos quando assim tão solta
toda nossa história escrita em alfarrábios

Aonde estão seus olhos quando os procuro
no meio das cobertas de uma cama vazia
eu me perco relembrando o seu brilho puro
e acordo sozinho no raiar de um novo dia

Mas bastam suas pálpebras saírem a me piscar
para que exultante meu coração seja saciado
então eu volto a nos seus os meus olhos jogar
e nossas bocas deixarão as palavras de lado

Seus olhos são o início de meus pensamentos,
o doce meio pelo qual os meus esperam viver,
e da procura o fim que sonho ver há tempos;
todo meu mundo, todo o sonho do meu ser ...

ROSA

5:14 da tarde  
Blogger Natália Reis said...

Uma troca de livros não seria má ideia :)

Belíssimo o conjunto palavra/imagem. Gostei muito deste espaço.

*

12:49 da tarde  
Blogger tufa tau said...

as mãos afagam a areia como uma à outra, mão na mão
apesar da aspereza dos grãos sentem a pele, na pele
encantados ouvem as sereias, doce canção
e a brisa no mar com beijos húmidos, enamora-se dele

10:05 da manhã  
Blogger MiguelGomes said...

Onde estão as praias que nascem nas conchas?

Fica bem,
Miguel

11:18 da manhã  
Blogger SAM said...

(...)

mergulho nele a minha raiva musculada, e reclamo minhas todas as conchas suas.
e só então me deito a teu lado, numa praia nascida para ninho de encontro entre minha mão e a tua.


Mas que lindo, Amândio!!!


Beijos

11:38 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

"
Quero ser um anjo...
Quero sempre poder ajudar-te.
Ter palavras de consolo na hora da tua dor!
Se pudesse faria sempre cessar as tempestades,
Fazer teu céu ficar mais azul,
Aliviar teu coração
Quando afligido, ferido
Por nunca ter imaginado tamanho desamor...
Mas uma coisa te falo,
És maravilhosa!!!
Tua cor é a mais bela!
E tua estrela é mais brilhante!
Nunca deixe nada, nem ninguém apagar esse teu brilho!
"

Nina

2:25 da tarde  
Anonymous Atenas said...

Ondas do mar ou do amor? ou as duas? Vejo as duas no teu poema. O ritmo, as palavras-conchas e a sonoridade das palavras me agradam profundamente neste poema.
bjsssssssssssssss

4:55 da tarde  
Blogger serenidade said...

Na ondulação de palavras sentidas se navega por entre sentimentos devastadores tal a força do oceano e serenos qual brisa maritima que acaricia o rosto dos apaixonados.

Serenos sorrisos

5:46 da tarde  
Blogger Olhos de mel said...

Hum... que lindo, viu? Que a felicidade seja plena!
Que sua semana seja de realizações e plenitude!
Beijos

5:57 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

As tuas palavras seduzem...

Elas fazem idealizar...

Está perfeito...


MARIA

10:19 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

e desnudo a minha fragilidade humana, para voar nesta linguagem das almas que as pessoas não entendem.
as tuas palavras doces são de quem SENTE a VIDA!

A.

12:36 da manhã  
Blogger Claudia Perotti said...

Letrinhas envolventes, banhadas de mar, sensualidade e doçura.

Lindo!

Beijinhossss

1:09 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

As suas palavras envolvem tudo o que nos rodeia...escreve muito bem...beijinhos maria

1:43 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Mais que poemas, mais que palavras, o Amândio dá pinceladas como de uma obra de pintura se trata-se.
A força, energia, sensibilidade, raiva e sentimentos são tão perceptíveis e subtis, que a leitura é mais que agradável pois nos apura a visão de forma a vermos os seus ímpetos.
È difícil para mim escrever algo, pois o receio de perturbar é grande.
Mas é com o maior prazer que escrevo que é bom ter um amigo como o Amândio.
Um abraço de Adrião (filho).

2:48 da tarde  
Blogger Daniel said...

Um poema que é feito para o encontro das nossas emoções como alguém que nos diz "olha, voltei... Não te lembravas de como era sentir-me?".
E assim vamos navegando nos poemas que navegam na/da nossa vida.
Abraço

6:05 da tarde  
Blogger Cackau Loureiro said...

Dessas conchas se escutam o barulho do mar!!

Que lindo...

1:31 da manhã  
Blogger angu said...

uau! parabéns, meu querido, por construir um texto tão poético.

1:49 da manhã  
Blogger RPM said...

Amigo Amândio....

Não com raiva, mas com muita ternura o poema me toca quando estou na praia com a minha cara-metade....
por isso escreveste bem...

um abraço amigo e sincero

RPM

4:12 da tarde  
Blogger Black Rose said...

Esta foi a declaração de Amor mais envolvente e no entanto mais discreta que já li...

8:19 da tarde  
Blogger Olhos de mel said...

Oie meu amigo lindo! Passei por aqui pra lhe ver e desejar um bom fim de semana!
Beijos

8:40 da tarde  
Blogger Olhos de mel said...

Oie lindinho! Bom fim de semana!
Beijos

8:45 da tarde  
Blogger Pilar M Clares said...

E perder-se na paisagem que entardecia.
Sábios beijos

10:03 da tarde  
Blogger Pedro Pan said...

, e o amor em sintonia. em ares, em lugares... sentimento que movimenta...
, agradecido pela visita em quimeras. volte quando desejar...
, abraços meus e feliz 2008!

1:06 da tarde  
Blogger Nuno da Cunha Ferreira said...

Uma onda fulgurante arrebatou-me da minha concha levando-me na sua crista!

Abraço ;)

11:37 da manhã  
Blogger Alessandra said...

A leitura desse teu texto nos dá a sensação de ondas batendo em nossas rochas, mansamente. Um beijo!

3:13 da tarde  
Blogger Eduardo Jai said...

Dos mais recentes, este é o meu preferido.

Obrigado pela visita que retribuo não por formalidade mas por gosto.

Abraço

9:07 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home