terça-feira, março 07, 2006

VIGÍLIA


na tua ausência
enrosco-me felino
nas malhas da saudade.


de que foges?!
de mim jamais
que me encontro
aconchegado
dentro de ti!

para onde vais?!
que não te ceguem
cânticos melados,
escritos no nevoeiro.

porque te cegas?!
mira em teus olhos
meu ninho.
vê-te nesse límpido espelho.

é aqui que tú estás.

construindo as notas
da minha sinfonia,
enquanto cumpro as horas marcadas
num namoro perfeito
com a nossa cumplicidade.

29 Comments:

Blogger sonia r. said...

Mais um belo poema. Boa tarde Amândio.

Bjo.

1:23 da tarde  
Blogger Artur Moura Queirós said...

A cumplicidade de um amor que nasce sem saber...
E que cresce acompanhado por um olhar que o envolve de forma embrionária...:)

1:53 da tarde  
Blogger spartakus said...

ahh bem...cumplicidades. ora b'tarde.

2:28 da tarde  
Blogger lonely star said...

cumplicidade me faz falta =/

3:30 da tarde  
Anonymous Neith said...

Uma cumplicidade que sempre almejamos...soberbo poema! Beijinhos

4:48 da tarde  
Blogger Miguel Peixoto said...

observe o seu ninho, nele reside toda a essência do seu sopro, suspiro, porto de abrigo, onde toda a conivência é perene.

Abraço

5:14 da tarde  
Blogger ~*Vica*~ said...

Lindíssimo!! Acho que vou copiar, posso?? Beijos.

6:17 da tarde  
Anonymous pequenita said...

são sempre tão belas astuas palavras...que ficam tão poucas para descrever o k sinto ao le-las...
muchossssss besitossssssssss

6:18 da tarde  
Blogger Ana P. said...

Já deixei de querer comentar os teus poemas. Só te digo que todos eles me fazem pensar de belos que são...

Bejos

7:28 da tarde  
Blogger alice said...

boa noite, amândio,
que dizer sobre o luar - que veio no teu olhar ao meu encontro?
que dizer sobre o frio - que saiu quando me abraçaste?
não direi mais nada desde que fiques aqui comigo,
beijinho,
alice

7:56 da tarde  
Blogger Vanda Baltazar said...

Pela noite dentro vou-me despindo de mim e navegando nas palavras dos outros...

Gostei muito!

11:42 da tarde  
Blogger Rosalina said...

apeteceu-me responder...

a saudade
encontra-me sempre sozinha.

longe...
és tu o fugitivo.
e o nosso aconchego é frio!

não parto.
estou aqui.
estou parada, inerte, de mãos vazias, de nadas brancos.
fecho os olhos para não querer ter-te!

és tu quem está aí.

eu sou o silêncio...
em mim não existe harmonia.
há o silêncio que anula inexoravelmente o namoro da cumplicidade.

12:37 da manhã  
Blogger sonia r. said...

Uma boa noite Amândio.

Bjo.

2:42 da manhã  
Blogger Mendes Ferreira said...

obrigado. pela vigilia. pela cumplicidade. pela tua POESIA.


bjo.

12:28 da tarde  
Blogger V.B. said...

Namoro perfeito... Uma utopia esperada. Por mim, às vezes.

1:19 da tarde  
Anonymous ricardo relvas said...

penso que o fado amoroso está belo, limpo e compliçe como a boa escrita deste blog

2:17 da tarde  
Blogger AS said...

Meu caro Amândio, obrigado pelas palavras tão gentis que deixaste. Será sempre um gosto receber-te. Eu tenho passado por aqui de forma discreta e aprecio muito o que escreves...

Um abraço

2:45 da tarde  
Anonymous teresa cam said...

de que foges?!...

dos outros, da mediocridade...


para onde vais?!

para ti, para para a cumplicidade e alegria.


porque te cegas?!

com o teu amor puro e singelo.

é aqui que tú estás.

ao teu lado, agachada nos teus braços que abraçam com terbura.

...."construindo as notas
da minha sinfonia,
enquanto cumpro as horas marcadas
num namoro perfeito
com a nossa cumplicidade."

Parabêns meu querido é lindo

Beijocas

3:18 da tarde  
Blogger Ninis said...

o amor, a saudade...avante Portugal!

5:37 da tarde  
Anonymous CANDIDO said...

cada dia k passa mais lindas se tornam as palavras e mais dificil dizer, o k quer k seja... como diz o nosso amigo... PARABÈNs... Abraço grande amigo

7:52 da tarde  
Blogger Nelita said...

cumplucidade...
digamos k pra mim e a palavra magica!!!
gostei sim,,muito
jinhos

8:33 da tarde  
Blogger Andreia Ramos said...

tens o dom das palavras1beijinho1

10:25 da tarde  
Blogger Betty Branco Martins said...

Olá joaquim

Gostei - profundamente do teu poema!


"Mas há a vida
que é para ser
intensamente vivida,
há o amor.
Que tem que ser vivido
até a última gota.
Sem nenhum medo.
Não mata".

(Clarice Lispector)

Beijinhos

10:25 da tarde  
Blogger A.J.Faria said...

Olá, Santos!
Obrigado pela tua visita!
Gostei de conhecer o teu espaço!

Se queremos fugir de algo, então o melhor será, talvez, não cultivar a saudade.
A saudade leva-nos a algo que aconteceu, o que manifestamente deixa-nos sempre presos a algo que queremos a todo o custo dissipar.
Um grande abraço,

10:53 da tarde  
Blogger Sea said...

Bom Dia. Obrigada pela visita ao meu "place". Gostei do que li aqui. Beijo :)

9:55 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Muito lindo...Já li mts dos seus poemas e adorei.
Bjinhos
Sílvia Pereira

12:07 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

VIGILIA: Um belo poema que descreve de forma singular os encontros e desencontros de tantos que se apaixonam, mas que não se dão a oportunidade de viver essas paixões. Bom trabalho! Beijinhos, Alexandra

4:54 da tarde  
Blogger Moni said...

E não me importa aonde vás
Ou onde estejas
Só de lembrar do jeitinho que me moldo ao seu corpo na cama, me faz querer ir ao seu encontro.
Bjs

3:05 da manhã  
Blogger Joaquim Amândio Santos said...

dwmmmQueria eu saber cantar
Só para te pôr em versos
Te passar na boca
Te lançar no ar
Respirar teu corpo
Te ouvir baixinho
Te tragar de novo
E te ninar sorrindo

Com mil beijos,
Moni.

3:45 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home