terça-feira, março 14, 2006

BÚSSOLA


disse-me a rosa-dos-ventos.
és
demasiado única
para teres lugar
no ventre
das fronteiras do mundo.

deu-me uma bússola que renega
o norte
e saio
de um mar revolto
para aceitar o farol
que ostentas nos teus olhos,
conduzindo minha vontade
navegante
para águas tão cálidas
quanto sossegadas.

eis-me
por entre fiordes de ternura,
num leito de rio
feito da seiva que te percorre
o corpo.
é lá que desaguo o desejo.
doce saliva
que cai em gotas de mel.

Agora navego-te
pelos lados da fascinação

saboreando na ondulação
a tua sedução.
meu puro deleite.


brinca traquina
com o meu suor.
sabe-o fruto

completamente rendido ao cansaço,
nascido no preciso momento
em que fiz morrer o meu gemido!

30 Comments:

Blogger ~*Vica*~ said...

Lindo teu poema, muito sensual. Beijos.

6:59 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

"Primeiro estranha-se, depois, entranha-se". Fernando Pessoa.
Voilá!!! Beijinhos. Xana

7:34 da tarde  
Blogger Miguel Peixoto said...

É na mais pura sensação de desejo que encontramos o caminho para o canto de refúgio.
Esta fantástico, muito belo.
Abraço

7:46 da tarde  
Blogger flash&clic said...

que mais poderei comentar... a negra tinta só mostra negras palavras, escritas de forma única e fenomenal!!!

8:05 da tarde  
Blogger porfirio said...

boa noite

passei por aqui e fiquei!

PARABÉNS

9:43 da tarde  
Blogger lonely star said...

Agora ja posso ler poemas assim.. hahaha, lindo!!!

12:54 da manhã  
Blogger Moni said...

Muito lindo.
sem palavras...
Bjs

8:03 da manhã  
Anonymous teresa cam said...

a única coisa que me ocorre.........Fascinante.....

Beijos

12:52 da tarde  
Blogger alyia said...

Gostei :)

12:57 da tarde  
Blogger Sea said...

algo sexual, bastante sensual, daí que seja apelativo á leitura e à imaginação.

2:06 da tarde  
Anonymous Para ti said...

Envolvente...

2:30 da tarde  
Blogger alice said...

querido amândio,
desorientas-me...
nesta busca de um rumo certo para as coisas, esquecemo-nos muitas vezes que o rumo delas não se acerta com o nosso, ou que o nosso relógio biológico não se acerta por elas
e é talvez nesse desfasamento ou pausa temporal intermédia que reside o amor do mundo
um beijinho, alice

3:08 da tarde  
Anonymous Neith said...

E num fundo negro soberbas palavras rutilam. Deixo-te um beijo :)

5:57 da tarde  
Blogger Artur Moura Queirós said...

Em cada palavra, uma pista para descobrir uma visão diferente e estimulante do que é o amor, paixão, sensualidade e tudo o que aparece à luz de um choque entre retinas que se atraem...:)
Mais uma vez um estilo de escrita diferente com a mesma qualidade de sempre...Parabéns...:)

6:16 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

quente
frio

doce
amargo

terra
mar

branco
azul...

sol

8:44 da tarde  
Blogger A.J.Faria said...

Olá, Joaquim!
Poema leve e repleto de beleza!
Gostei!
Abraço,

10:12 da tarde  
Blogger Miguel Peixoto said...

As fronteiras do mundo abriram o ventre para despojar algo unico, etereo, e que permite ao poeta um total deslumbramento ao ponto de realizar um hino ao sopro da vida.
Os meus parabéns
Aquele abraço

10:49 da tarde  
Blogger Betty Branco Martins said...

Olá Joaquim

"Bússola" que tão bem "conduziu" o caminho das tuas palavras...

"meu puro deleite.
a tua sedução.
saboreando na ondulação
pelos lados da fascinação"

Beijinhos

11:18 da tarde  
Anonymous pequenita said...

são sempre taõ belas as tuas palavras...que nada tenho acrescentar....mais uma vez maravilhosoo....adorei..
bjinhu

12:02 da tarde  
Blogger Dalila said...

Adorei o teu comentário e, para não variar, adorei o poema!

2:06 da tarde  
Blogger Alma said...

Grata pela visita.
Encantada com as palavras!
até breve, sem dúvida...

3:18 da tarde  
Anonymous Diana said...

Boa Tarde......

Que bom que apareceu no Tarde.....tinha perdido seu endereço.....
Mas é bom estar nesse canto gostoso......
eita coisas boas que escreve....
Rsss....
Bjs....

5:08 da tarde  
Blogger Pedaços de mim said...

Passei e gostei muito do que li, realmente ainda existem pessoas sensiveis e delicadas...
Boa noite

10:44 da tarde  
Blogger sonia r. said...

Boa noite poeta.
Gostei muito deste poema Amãndio.

Bjo.

12:16 da manhã  
Blogger Freyja said...

gracia por tus saludos, siempre son bienvenidos, de una persona como tu que escribe muy bello
te dejo un abrazo grande y que tengas lindo fin de semana

besos y sueños

2:05 da manhã  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

Gostei de ler sentindo o sentimento em cada linha...
bela noite meu querido,
beijosssssssssss

3:51 da manhã  
Blogger ¤(`×[¤ Juzinhah ¤]×´)¤ said...

suspira...





expira...


"POXA"...

12:39 da tarde  
Anonymous pequenita (quando o teu corpo e o meu) said...

Vim deixar um Sorriso :o) Que grande bênção é um sorriso presente no ser humano. Um gesto tão pequenino breve ou mesmo contínuo, que vai se propagando como suave hino! Um sorriso espanta a dor e a todos contagia. Um sorriso é como o amor que nos enche de alegria. Um sorriso faz milagres,deixa a vida bem melhor. Cura até nossos ataques quando estamos na pior. Um sorriso gera a luz,aumentando a esperança. E os efeitos que produz nos faz virar crianças. Por isso sempre agradeço a Deus, de coração este dom que não tem preço e que é pura emoção! beijuuuuuuuuuu BOM FIM DE SEMANA

1:54 da tarde  
Blogger Abelhinha said...

descobri-te hoje e vou fascinada, és um mágico das palavras. Muito lindo!

deixo-te um beijo até à minha próxima visita

4:04 da tarde  
Blogger Paula Raposo said...

Estou a ler-te devagarinho....lindos os teus poemas!! Ainda bem que me visitaste para eu me poder deliciar nas tuas palavras!

5:05 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home