terça-feira, dezembro 27, 2005

purgatório das almas

onde paras MÃE?!
ventre
amparo rezado nas horas difíceis, tormentas contínuas, carregadas.
trémulos ...passos a dar!

desfeito, o horizonte onde vagueiam forças reunidas,
estranhas
a pupilas e pálpebras desfeitas, inchadas.
sombra
vida
...descanso.

berço, embalo, mansidão. idade ida de afagos constantes.

lembrança MÃE?!

Bocados, carinhos, pétalas
...espinhos

levaste MÃE?!

fios de leite, dormente, ausente.

álcool algum corta cerce a dor crescente, dominante
em olhos paridos num cansaço rasgado que esconde,
protege
o ventre das lágrimas.

consentes MÃE?!

cansado do grande. do EU. doeu!
choro. imenso. imundo, sedento, nojento.
do mundo!

És MÃE?!
numa umbilical dança de feto
MINHA!

3 Comments:

Blogger Nelita said...

O muro que sustenta a vida...
a imagem que prevalece...
A magoa da indiferença...
O carinho depositado...

Há mães e mães....

bjinho pra tu migao meu

5:24 da tarde  
Anonymous sofia said...

oi mais uma vez...era so pa dizer k adicionei o seu blog junto dos blogs k cpstumo visitar...se kiser me adiciona tambem
bjux

9:56 da tarde  
Anonymous noitestrelada said...

Cada vez estou mais impressionada...eu primeiro fui mãe, depois louca, a seguir noite...
Como diria o Ary...
mãe, louca, noite...serei tudo o que quizerem...mas vida...NÃO!

www.voahato.blogspot.com

3:50 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home