segunda-feira, dezembro 26, 2005

iceberg

meus ombros caídos, rendidos à avalanche.
rochas fendidas,
rasgadas num relâmpago coberto por gelo.

minhas células em metástases, pedregulhos esfarelados no vazio.
ausente o vale verdejante onde desaguar em amparo.
glaciar. em espera no corredor da morte
o degelo.

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

por vezes a melhor coisa é mesmo ter uma sensação fisica que te proporcione uma sensação psicologica contrária... talvez coberto em gelo fosse a unica maneira de sentir o interior quente, quente...


sol

12:55 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home