quinta-feira, dezembro 22, 2005

absinto

vedam às minhas veias a razão do absinto.

panaceia esmagadora de cada sopro
racional.

deixam-me os restos: um sangue inócuo
[normal]
olho-me sóbrio
[tristemente sóbrio]

ignorado
[comum]
mortal!

2 Comments:

Blogger Nelita said...

comum mortal me sinto...
ke falta do absinto !!!!
tristemente sobria !!!

beijinho obrigada pela visita...

6:40 da tarde  
Anonymous rita said...

Eu nao sei o que dizer porque as palavras me faltam a ver poesia tao bonita...... mas quero dizer que os poemas do pedra sobre pedras me cativaram muito . obrigado por as bonitas palavras que me disse beijos RITA.

8:27 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home