quinta-feira, janeiro 18, 2007

CAMERA ESCURA


... e já não identifico cada suspiro que exalo, construído num doce salgar do suor, nos esgares de dor, essa filha parida na ausência.
como se queda, bem quieto numa paralisia hermética, o meu cansaço desistente. seguirá comprador dos passos meus que não ecoarão na tua estrada.

fico-me por este quarto. no escuro das pálpebras sem vontade muscular, possuídas por inteiro pela cegueira que me impede de saltar a tua janela.
Cada parede uma metástase celular que me consome.

e tu aí tão perto, bem lá no mundo que me chora.

20 Comments:

Blogger Arion said...

A beleza das tuas palavras iluminam qualquer solidão, se bem que idealmente temporária! Bem hajas!

7:08 da tarde  
Blogger carlos said...

O mundo, o nosso pequeno universo, qual gota num oceano universal inacreditavelmente grande, chora-te de alegria.

8:47 da tarde  
Blogger Claudia Perotti said...

Escreveu um belo texto. Sentido e intenso, que toca a alma da gente.

Bom final de semana!

Beijinhossss

2:30 da tarde  
Blogger Luna said...

Ainda que o cansaço perdure, que nas pedras do caminho possa cair, arrastar o corpo pelas vielas escuras, jamais se pode desistir, pois um dia as forças voltam e a janela pode ser aberta novamente.
beijos

4:50 da tarde  
Blogger RPM said...

Joaquim....

um feliz fim-de-semana, se possível sem dôr!

abraço amigo

RPM

11:22 da tarde  
Blogger Artur Moura Queirós said...

A ausência de vontade muscular desperta a necessidade de continuar a criar novos trilhos, sedentos de almas destemidas.

Um dia alguns dos trilhos nascidos em pálpebras fechadas serão passagem obrigatória nos mapas do mundo vanguardista...:)

11:27 da tarde  
Blogger ≈♥ Nadir ♥≈ said...

e eu tão longe, no centro do meu mundo que grita...

é um prazer ler-te.

beijos e bom fim de semana

3:09 da tarde  
Blogger alejandrapiam said...

aaah, ese poema está redondo!

2:37 da manhã  
Blogger Eu* said...

Também vivo neste barco: a vida num mundo que me chora...
bjs, tudo de bom!

9:26 da tarde  
Blogger alice said...

é sempre um prazer conhecer o amândio através das palavras. o céu abre-se e surgem novos mundos. é impressionante constatar que são melhores do que este terreno onde estamos. obrigada por me proporcionar esta viagem poética. um grande beijinho.

3:38 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Vamos lá, saltar a janela, abrir os olhos e atravessar a parede.. não se tratam de obstáculos reais, apenas ficções do inconsciente que tomam a mente arquitectando justificações para que tornem reais. Depois de um descanso merecido virá a força para a ir ao inconsciente e verificar que o que se tornou consciente não foi mais do que ilusões amargas ... vamos atirá-las janela fora, abrir os olhos e... ir ao encontro do que se quer, do que se sonha e se tornará realidade... porque a força dos sonhos tudo consegue, desde que se seja fiel aos sonhos e nunca se desista.
Tanta atribulação aí vai... venho deixar-te um pouco de serenidade...

Um beijinho de luz serena.

Serenidade

2:20 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Nao conheço palavras que amenizem a dor. Apenas gestos... mas o que te posso dar é tao pouco, nesta distancia abismal. deixo-te um beijo terno e um abraço acolhedor, querido poeta.

Mia

2:29 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Nunca podemos desistir de saltar a janela,não podedmos ceder aos medos, pois é lá no invisivel , no não palpavel,que se encontra a vida,
beijos

Luna

2:30 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

em comento de silêncio envolvo-me no teu abismo ora tão igual ao meu.

(o meu silêncio: em respeito à tua meditação)

Nuno Barros

2:31 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Más por ahi debe de asomarse la luz, en algun lugar donde combate con la oscuridad.

Me gusta leerte Joaquin, te mando un beso.

Eyrenne

2:31 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

determinada a tua voz, as tuas palavras, num tom aveludado para encantar o movimento...

annya

2:47 da tarde  
Blogger Betty Branco Martins said...

Olá Joaquim

Já Voltei:))

O meu comentário de hoje, tem que ser assim um simples – olá e um muito sentido – obrigada – pela visita na minha ausência.

Isto é para eu ter tempo de visitar a todos.

Beijos com muito carinho

12:46 da manhã  
Blogger MySelf said...

A beleza com que usas as palavras, faz-me sempre voltar aqui...

Um beijo

11:29 da manhã  
Blogger Betty Branco Martins said...

Olá Joaquim

Como tenho um blog que falo de livros que leio. E gostei imenso de ler o teu tomei a liberdade de o publicar lá. Espero que não me leves a mal

O link está no "Fragmentos" se quiseres passar por lá "LIVROS&LEITURAS"

Beijo com carinho

5:37 da tarde  
Blogger Nani said...

Depois do que já foi dito, o que dizer...?

Belas palavras. Texto tocante.

Há uma vida para viver, é preciso sair do escuro e vive-la o melhor possível.

Beijo

Nani

12:17 da tarde  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home